Feministas, isso aqui que é empoderamento feminino: Mulher larga carreira pra combater o Estado Islâmico

0

As verdadeiras oprimidas pela sociedade machista e patriarcal são as mulheres que vivem no oriente médio. Aquelas que vivem submetidas a Lei Sharia, que já até é defendida abertamente por políticos de extrema-esquerda.

Essas são meras escravas sexuais e sofrem violência diariamente. As feministas do ocidente, que tanto falam em lutar por mulheres, não parecem se preocupar muito as oprimidas do lado de lá.

Vejam só esse caso, isso sim é um exemplo de empoderamento feminino: indignada com a situação das mulheres do oriente médio a ex-modelo canadense Hanna Tiger Böhman não se conformou em por um “filtro” na foto de seu facebook pedindo mais amor, tirar a roupa no meio da rua em protesto ou deixar os pelos das axilas crescerem contra a sociedade patriarcal. Hanna largou a carreira de modelo e se mudou para a Síria, onde luta contra o Estado Islmâmico.   

Concendeu uma entrevista pra BBC, disse:

“Só porque você está disposta pegar em uma arma e lutar por algo que você acredita, isso não significa que você é ‘menos mulher’. Você pode continuar sendo feminina e curtir todos esses aspectos em você. E ainda pode ser durona.”

“Mais importante do que combater os extremistas, é batalhar para resgatar as mulheres que estão sob o controle deles.”

“Era algo que me incomodava muito, eu tinha que fazer alguma coisa. O maior objetivo é lutar pelos direitos das mulheres”

Quando questionada se tinha medo de morrer cedo, ela respondeu:

“Eu quero ajudar as pessoas. Quero que eles fiquem em segurança”.

“Se eu tivesse que escolher entre viver muitos anos com auxílio de remédios e aparelhos ou ser morta fazendo algo que vale a pena… eu preferiria morrer fazendo algo que valha a pena.”

Feministas aprendam, isso sim é lutar pelas mulheres.

Por Francine Galbier

CURTA O JORNAL EXPRESSO DIÁRIO NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS