Friboi ajudou 162 deputados, o único que recusou o dinheiro foi Jair Bolsonaro

A JBS entrou no alvo das ações da Polícia Federal nesta sexta-feira.

A JBS investiu R$ 361 milhões nas eleições de 2014, valor equivalente à soma das contribuições oficiais das cinco maiores empreiteiras pegas no Petrolão da Lava Jato. Do total, R$ 115 milhões da JBS foram para o PT, R$ 61 milhões para o PMDB e R$ 56 milhões para o PSDB.

A gigante da carne contribuiu para 162 deputados. Em fevereiro, a CPI do BNDES, que detém 27% do capital do frigorífico, terminou sem que este fosse sequer ouvido. Dos 27 membros da CPI, 20 haviam sido apoiados pela empresa — cuja holding Meirelles presidiu até virar ministro da Fazenda de Michel Temer.

O único deputado que se recusou a receber dinheiro da JBS foi Jair Bolsonaro, que na época era do PP. O Partido chegou a depositar R$ 200 mil na conta do deputado, mas ele devolveu tudo quando soube a origem da contribuição.

NOTA DE BOLSONARO NAS REDES SOCIAIS
Na campanha eleitoral de 2014, o Partido Progressista, deliberadamente e sem meu consentimento, depositou o valor de R$ 200.00,00 em minha conta eleitoral, a título de repasse de doação feita pela JBS – S/A (Friboi) ao Diretório Nacional.
Ao identificar o Doador Originário, de imediato oficiei ao Partido e fiz a devolução integral do valor informando que não aceitaria qualquer doação de empresas privadas.
Infelizmente, por má fé de alguns ou desconhecimento, apenas parte da prestação de contas disponível no site do TSE tem sido exposta com o claro intuito de comprometer minha conduta.
(Acesse: Receitas da Campanha): http://migre.me/sOqa4
(Acesse: Ofício ao Partido): http://migre.me/sOqc8
(Acesse: Despesas da Campanha:), http://migre.me/sOqds

FONTE: *Políbio Braga – Blog do Políbio Braga

COMENTÁRIOS