Não se engane! 4 coisas que você precisa saber sobre Joaquim Barbosa

Por Francine Galbier – Jornal Livre

Joaquim Barbosa, ex-ministro e Presidente do Supremo Tribunal Federal, foi indicado ao STF por Lula. Passou a ocupar o cargo em 2003 e ganhou popularidade por ser o relator do processo do Mensalão, que teve início em 2005.

Pelo desempenho no processo, seu nome chegou a ser citado pela direita como candidato à presidência em 2014, pois ele se mostrava como um “anti-petista” mesmo tendo sido escolhido para o cargo pelo próprio PT.

Agora o nome Joaquim Barbosa está de novo em evidência, por suas recentes declarações de que pode sair candidato à 2018. Mas não se engane: Joaquim nunca foi e nem poderia ser o candidato da direita, como falavam em 2014. Ele sempre esteve ao lado da extrema-esquerda. 

Defende que todas as coisas devem ter regulamentação

 

Veja as declarações que ele fez, enquanto defendia a regulamentação estatal, em uma de suas audiências no STF:

“Normatização, regulação, seja ela do Estado ou autorregulação, é importante. O que não deve haver é falta de qualquer regulação. 

Para Joaquim, quanto mais regulamentação se metendo na sua vida melhor.

Defende a Censura de Imprensa

Na mesma audiência em que disse que todas as coisas devem ser regulamentadas, também defendeu a regulação da mídia. Segundo ele falta “diversidade” nos meios de comunicação do país:

“Há organizações que fizeram esforços nos últimos 15, 20 anos, para ter mais a cara do Brasil, na chamada paisagem audiovisual brasileira. Outras simplesmente não despertaram para essa necessidade. Precisamos de visões mais plurais e ver isso com mais naturalidade. Vocês não acham que a informação no Brasil é repetitiva, obsessiva, cansativa às vezes? Todo mundo diz a mesma coisa”.

Joaquim está falando sobre a regulamentação do conteúdo de meios de comunicação. Será que a ideia dele é que exista uma comissão para policiamento e censura em nome da diversidade?

Acha que o Impeachment foi um golpe contra Dilma

Em uma entrevista para Mônica Bergamano à Folha em fevereiro de 2016, Joaquim deu declarações interessantes. Disse que o processo legítimo e constitucional, que era vontade de mais da metade da população nacional, o impeachment, foi uma “operação Tabajara”. Levantou a mesma tese dos petistas, foi tudo um circo para conter a Lava Jato e o Congresso estava mancomunado com Michel Temer para derrubar a “presidenta”. Pois é, ele é da turma do Fora Temer mas Volta Dilma.

Caráter Intolerante e Autoritário

Sobre essa entrevista de Joaquim à Folha, o jornalista Reinaldo Azevedo fez crítica em seu blog, dizendo que o ex-ministro tinha falado bobagens. Joaquim, revelando seu caráter autoritário e intolerante, de quem quer censurar a mídia e impor até mesmo o conteúdo que devem passar na Tv, escreveu em seu Twitter sobre Reinaldo:

Se concorrer à presidência em 2018, Joaquim Barbosa não poderá promover nenhuma renovação no cenário político. Ele é mais do mesmo, ou até pior.

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM PRIMEIRA MÃO. CURTA E SIGA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS NOS BOTÕES ABAIXO

COMENTÁRIOS