Bolsa brasileira dispara mil pontos após Bolsonaro ser esfaqueado

O Ibovespa fechou em alta de 1,76% nesta quinta-feira (6), uma alta impulsionada após o atentado ao canditato à Presidência da República

O índice Ibovespa, que reúne os principais papeis da Bolsa Brasileira, disparou após a notícia de que o candidato à presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) foi esfaqueado durante uma passeata de campanha em Juiz de Fora (MG).

Próximo das 16h10, quando a notícia saiu, o índice subiu praticamente mil pontos, de 75.494,99 para 76.496,77, às 16h51. O Ibovespa fechou o dia com alta de 1,76% a 76.416 pontos, um resultado não esperado para uma véspera de feriado.

Ao mesmo tempo, o dólar comercial fechou em baixa de 0,95%, a R$ 4,10.

Victor Candido, economista-chefe da Guide, relata que a reação foi imediata. “Viramos para ver as imagens na TV, a Bolsa tinha subido.”

Os motivos para a alta não são consenso entre analistas. Há duas leituras mais expressivas: a primeira é a de que o episódio fortalece Bolsonaro na corrida presidencial; a segunda, a de que o eventual afastamento de Bolsonaro da campanha, para recuperação após o ataque, poderia abrir espaço para o crescimento de Geraldo Alckmin (PSDB) nas pesquisas.

Alckmin é o candidato preferido do mercado porque é visto como o mais disposto a fazer reformas consideradas necessárias. Mas, conforme lembra o analista-chefe da Spinelli, André Perfeito, Bolsonaro também é visto como uma escolha porque representa uma série de promessas mais liberais. “De fato, o que aconteceu fortalece o Bolsonaro. E se o agressor for confirmado como alguém de esquerda, isso vai atrapalhar muito Fernando Haddad (PT)”, observa o analista, fazendo menção à última pesquisa Ibope* em que o candidato, por ora, a vice do PT perde, ainda que dentro da margem de erro, para Bolsonaro num eventual segundo turno. “Os dois candidatos são os que mais racham a sociedade”.

Alvaro Bandeira, sócio e economista-chefe da Modalmais, considera que a exposição de Bolsonaro na imprensa após o ataque poderá fazer com que ele ganhe votos. Para ele, a alta poderia sinalizar que o mercado está aderindo à candidatura de Bolsonaro contra o Ciro e o Haddad.

Perfeito lembra que segunda-feira (10) promete ser um dia quente para o mercado com a previsão da divulgação de uma nova pesquisa Datafolha. “Ao longo do feriado, os fatos relacionados ao atentado devem se desenrolar. E a pesquisa pode mostrar um crescimento de Bolsonaro”, pontua o analista-chefe da Spinelli.

* Pesquisa realizada pelo Ibope de 1/set a 3/set/2018 com 2.002 entrevistados (Brasil). Contratada por: TV GLOBO E JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO. Registro no TSE: BR-05003/2018. Margem de erro: 2 pontos percentuais. Confiança: 95%. *Não sabe / Não respondeu

JORNALISMO DE QUALIDADE MERECE SER APOIADO, CURTA O EXPRESSO DIÁRIO NO FACEBOOK E ACOMPANHE AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES

COMENTÁRIOS