Bolsonaro está atento aos pedidos de ajuda da população de Belo Horizonte, dizem interlocutores

A paciência do presidente Jair Bolsonaro está no limite. Isso porque o chefe do Executivo tem recebido inúmeros depoimentos e pedido de ajuda dos comerciantes e empresários de Belo Horizonte.

O prefeito reeleito da cidade, Alexandre Kalil, novamente, colocar em prática o decreto que suspende o funcionamento de serviços não essenciais em Belo Horizonte. Com isso, a maior parte das lojas do centro da capital estão de portas fechadas.

A medida tem desencadeado uma série de protestos na capital mineira. Nesta última segunda-feira (11), manifestantes de diversos setores se concentraram na porta da Prefeitura de Belo Horizonte, na Região Central da cidade. Contrários à decisão do Executivo de somente permitir o funcionamento de serviços e estabelecimentos considerados essenciais, como supermercados, farmácias, postos de gasolina, padarias e sacolões, eles acusaram o prefeito de não estabelecer diálogo com a população, além de não tomar as medidas necessárias para conter corretamente a ‘2° onda da Covid-19’.

Com o novo decreto em vigor, a população tem pedido ajuda ao presidente Jair Bolsonaro, que voltou a subir o tom contra Kalil.

Bolsonaro veio a público para dizer que Alexandre Kalil está fazendo “barbaridades” na condução da capital mineira.

“Eu pedi votos para o candidato a prefeito de ‘beagá’. Perdi. É natural. O cara lá agora tá fazendo barbaridades, fechando tudo, e já tinha fechado tudo anteriormente”, disse o presidente nesta quarta-feira, 13, no Palácio da Alvorada.

O Conexão Política ouviu alguns interlocutores próximos do governo federal sobre a situação em Belo Horizonte. Sob condição de anonimato, eles disseram que o presidente da República está estudando meios legais para ajudar os belo-horizontinos.

O post Bolsonaro está atento aos pedidos de ajuda da população de Belo Horizonte, dizem interlocutores apareceu primeiro em Conexão Política.

DEIXE UM COMENTÁRIO