Boulos acusa bolsonaristas de espalhar Fake News de que ele foi preso

Guilherme Boulos usou as redes sociais para acusar “grupos bolsonaristas” de espalharem Fake News sobre ele dizendo que tinha sido preso por terrorismo.


“Grupos bolsonaristas soltaram nas últimas horas em redes de WhatsApp a informação mentirosa de que eu teria sido preso por terrorismo. Querem espalhar o medo e a desinformação, criando ambiente para arbitrariedades. Seguiremos com coragem lutando por nossos direitos”, protestou.


Boulos ainda acha que os brasileiros são idiotas a ponto de não procurar a veracidade das informações, no dia 17 de janeiro de 2017 como afirma a Revista Exame, Guilherme Boulos líder do MTST, é preso em São Paulo, ele estava acompanhando reintegração de posse da ocupação colonial e foi detido acusado de desobediência civil, incitação à violência e de participar de ataques com rojão contra a PM.

A própria fanpage do terrorista invasor de propriedade privada  informou o acontecido:


“O companheiro Guilherme Boulos, da coordenação do MTST, que estava acompanhando a reintegração de posse da ocupação Colonial, acaba de ser preso pela PM de São Paulo”.


Vários outros veículos de comunicação noticiaram o ocorrido entre eles a Folha de São Paulo, G1, Estadão, O Globo e jornais televisivos.

O desespero do ocupador de propriedade alheia só mostra que as mordomias que o mesmo vinha tendo ao longo dos anos com a esquerda no poder estão se esvaindo com a vitória do presidente eleito Jair Bolsonaro.

 

SÃO PAULO,SP,17.01.2017:REINTEGRAÇÃO-POSSE – Guilherme Boulos, coordenador nacional do MTST – Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto é detido durante ação de reintegração de posse em terreno localizado na Avenida André de Almeida, em São Mateus, Zona Leste de São Paulo (SP), na manhã desta terça-feira (17). A ocupação Colonial reúne cerca de 700 famílias. Segundo moradores, o local está ocupado desde 11 de janeiro de 2015. (Foto: Jorge Ferreira/Futura Press/Folhapress)

 

 

Grupos bolsonaristas soltaram nas últimas horas em redes de WhatsApp a informação mentirosa de que eu teria sido preso por terrorismo. Querem espalhar o medo e a desinformação, criando ambiente para arbitrariedades. Seguiremos com coragem lutando por nossos direitos! pic.twitter.com/goRR3SpKr4

GOSTOU DESTA NOTÍCIA? ENTÃO CURTA E COMPARTILHE, É GRÁTIS!

ASSINE O EXPRESSO DIÁRIO, É GRÁTIS

COMENTÁRIOS