Brasil investe mais que a média dos países avançados no combate ao novo coronavírus

(Santos - SP, 10/01/2020) Palavras do Presidente da República, Jair Bolsonaro.rFoto: Alan Santos/PR

O Brasil está investindo mais que a média dos países avançados e quase o dobro do que as nações emergentes para combater os efeitos do novo coronavírus.

Os dados podem ser consultados diretamente no portal do Ministério da Saúde.

As medidas brasileiras de combate à pandemia da Covid-19 já anunciadas representam um impacto primário equivalente a 4,81% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, enquanto a média dos países avançados é de 4,3% do PIB.

Entre os emergentes, a média é de 2,3%.

Os números foram apresentados pelo secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, nessa sexta-feira (01).

Do total de R$ 253 bilhões de recursos autorizados até agora, já foram pagos R$ 59,9 bilhões.

O maior volume de despesas já pagas até agora é com o auxílio emergencial a pessoas em situação de vulnerabilidade (Coronavoucher): R$ 35,6 bilhões.

Esforço fiscal

“É de R$ 349,4 bilhões o esforço fiscal adicional do governo em reação ao coronavirus”, destacou o secretário especial.

Esse valor leva em conta retração de R$ 16 bilhões nas receitas e aumento de R$ 333,4 bilhões nas despesas neste ano, considerando medidas adotadas e algumas anunciadas até o momento.

Pelo lado da receita estão medidas como as de isenção das alíquotas de importação para produtos de uso médico-hospitalar (R$ 7,8 bilhões) e redução temporária da cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) nas operações de crédito (R$ 7,1 bilhões).

As principais despesas referem-se ao Emergencial – Coronavoucher (R$ 123,9 bilhões), o Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda – BEM (R$ 51,6 bilhões) e o Programa Emergencial de Suporte a Empregos – PESE (R$ 34 bilhões).

“Em termos de impacto agregado, estamos acima da média mundial. Nossa ação foi célere, focada, buscando alta efetividade, defendendo os mais vulneráveis, assim como a manutenção do emprego, sempre com transparência”, disse o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, ao apresentar, em entrevista coletiva virtual, balanço das ações de enfrentamento à Covid-19 tomadas até agora.

Clique abaixo e confira o balanço das medidas fiscais de mitigação dos efeitos da pandemia da Covid-19.

DEIXE UM COMENTÁRIO