Dossiê expõem 50 padres italianos que participaram de orgias homossexuais e prostitutas pagas

Um  dossiê de 1.200 páginas expôs as supostas práticas homossexuais de pelo menos 50 padres, incluindo um bispo, distribuídos em dioceses em toda a Itália. O relatório, divulgado pelo portal Gay News, inclui o uso de inscrições para reuniões homossexuais, práticas sexuais em grupo (‘gang bangs’) e organização de orgias.

O documento, conforme detalhado pela mídia internacional RT , foi preparado e enviado à diocese de Nápoles por Francesco Mangiacapra, um jovem advogado italiano que atualmente trabalha como gigolô. “A coisa mais sórdida que vi foi um padre que ejaculou em frente à estátua de Nossa Senhora de Fátima”, disse ele ao portal local Anticleriali após a revelação do escândalo.

Nas 1200 páginas do relatório o coadjutor da Basílica de San Giovanni in Laterano, afirmou que pagava seus companheiros com ‘Postepay’ (um cartão pré-pago para fazer pagamentos seguros online). Há também o diretor de um ministério pastoral da escola diocesana que busca encontros sexuais por meio de uma inscrição. Um pároco que organiza ‘gang bangs’ na reitoria. O guardião capuchinho da Puglia que organiza orgias em um convento. O seminarista siciliano que ejacula na webcam em frente à estátua de Nossa Senhora de Fátima. A lista é longa.

O autor afirma que é o resultado de impunidade que têm usado os líderes da Igreja: “A intolerância injusto que alimenta a idéia de ser capaz de separar o que é feito no que é dito”, e acrescenta: “Típico de que têm um duplo padrão esquizofrênico “.

Ao lado do relatório, o advogado teria também dado um CD com várias gravações, captura de tela móvel e conversas em uma aplicação móvel utilizada pelos religiosos de namoro, de acordo com eldiario.es, que também afirma que a diocese napolitana admite a existência de relatar e anunciar uma investigação.

A doutrina da Igreja Católica considera a homossexualidade como “atos desordenados” e às vezes “incurável” e tive que esperar para o aparecimento de papa Francis para permitir a comunhão a gays, até agora proibidos.

Amauricio Borba

Formado em Economia, Jornalismo e Ciências Políticas pela UNIVILLE – SC. Gaúcho de nascimento e catarinense de coração. Em defesa da ética, da liberdade de expressão e por um Brasil mais justo. Apaixonado por vendas é fundador do Jornal Expresso Diário
Amauricio Borba

DEIXE UM COMENTÁRIO