Empresa que construiu ciclovia que desabou três vezes no Rio é da família de secretário do Turismo

Inaugurada em janeiro 2016, a ciclovia Tim Maia, que liga os bairros do Leblon e São Conrado no Rio de Janeiro desabou pela terceira vez na madrugada desta quinta-feira (5) por conta do temporal que atingiu a capital do estado.

Em abril de 2016, meses após a inauguração, a obra, que é suspensa e junto ao mar, foi atingida por uma forte onda e teve um trecho de mais de 50 metros arrancado. Naquela ocasião duas pessoas acabaram morrendo e outras três foram feridas.

Já em fevereiro 2018, um forte temporal derrubou um outro trecho da ciclovia. Dessa vez, ninguém ficou ferido. Nesta madrugada, por conta das fortes chuvas , um deslizamento na Avenida Niemeyer atingiu parte da estrutura, que foi parar dentro do mar. Ninguém se feriu no local.

A empreiteira Concremat, responsável pela construção da ciclovia pertence à família do secretário de Turismo da cidade do Rio, Antônio Pedro Viegas Figueira de Mello.

A Concremat foi fundada por Mauro Ribeiro Viegas, avô de Antonio Pedro Viegas Figueira de Mello. Hoje, a empresa tem como diretor-presidente Mauro Viegas Filho.

VEJA TAMBÉM:  Jerusalém como capital de Israel e a origem dos confrontos entre palestinos e israelenses

Este slideshow necessita de JavaScript.

A obra da ciclovia, da gestão Eduardo Paes (PMDB-RJ), custou R$ 45 milhões e começou em setembro de 2014.

Em seu site, a Concremat afirma que o consórcio Contemat Geotecnia/Concrejato foi contratado pela Fundação Geo-Rio, braço da Secretaria Municipal de Obras da Prefeitura, para executar a contenção de encosta e a estabilização da área para a implantação da ciclovia.

GOSTOU DESTA NOTÍCIA? ENTÃO CURTA E COMPARTILHE, É GRÁTIS!

ASSINE O EXPRESSO DIÁRIO, É GRÁTIS

DEIXE UM COMENTÁRIO