Ex-ministro do Lula vira réu por fraudes de R$ 8 bi no BNDES

Ontem (23/5), o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, viraram réus na Justiça Federal após o juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal de Brasília, aceitar uma denúncia contra eles no âmbito da Operação Bullish.

A Operação Bullish foi deflagrada em maio de 2017 com o objetivo de investigar as operações do BNDES com o frigorífico JBS.

Conforme a denúncia, Mantega e Coutinho participaram de desvios no banco que resultaram em benefícios indevidos de até R$ 8,1 bilhões em favor da empresa JBS.

O esquema planejava aprovações de empréstimos à JBS em desacordo com as normas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). As operações irregulares ocorreram entre junho de 2007 e dezembro de 2009, de acordo com a acusação do Ministério Público Federal (MPF).

A CVM foi criada em 1976 com o objetivo de fiscalizar, normatizar, disciplinar e desenvolver o mercado de valores mobiliários no Brasil.

Siga o EXPRESSO DIÁRIO no TWITTER e acompanhe todas as notícias em tempo real.

Victor Sandri, ex-assessor de Mantega, também se tornou réu. Victor teria recebido R$ 5 bilhões da JBS sem prestar qualquer serviço, e mais R$ 67 milhões em contas no exterior.

Os 3 vão responder por:

  • Mantega: formação de quadrilha, gestão fraudulenta, práticas contra o sistema financeiro nacional e corrupção passiva;
  • Coutinho: formação de quadrilha, gestão fraudulenta e práticas contra o sistema financeiro nacional;
  • Sandri: formação de quadrilha, corrupção, gestão fraudulenta e prevaricação.

Amauricio Borba

Formado em Economia, Jornalismo e Ciências Políticas pela UNIVILLE – SC. Gaúcho de nascimento e catarinense de coração. Conservador de direita em defesa da ética, da liberdade de expressão e por um Brasil mais justo. Apaixonado por vendas é fundador do Jornal Expresso Diário
Amauricio Borba