Gilmar Mendes manda soltar corruptos ex-integrantes do governo Cabral

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes concedeu hoje (23) liberdade ao ex-secretário de Obras do Rio de Janeiro Hudson Braga e ao ex-assessor Carlos Miranda, que integraram a equipe do ex-governador Sérgio Cabral. Ambos estão presos há um ano e meio em função das investigações da Operação Calicute, da Polícia Federal (PF).

Ao determinar a soltura de Braga e Miranda, o ministro Gilmar Mendes substituiu a prisão preventiva decretada pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal no Rio, por medidas cautelares, como proibição de manter contato com outros investigados e de deixar o país, além de recolhimento noturno e nos fins de semana.

Segundo Gilmar Mendes, a prisão preventiva de Hudson não se justifica mais após a sentença que o condenou a 27 anos de prisão. No mesmo processo, o empresário Carlos Miranda foi condenado a 25 anos de prisão também por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

A Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato no Rio, investigou o desvio de recursos públicos federais em obras realizadas pelo governo de Cabral, que é réu em 22 ações penais em tramitação na Justiça. Ele foi condenado em cinco processos, que somam mais de 100 anos de reclusão.

GOSTOU DESTA NOTÍCIA? ENTÃO CURTA, É GRÁTIS! ISSO NOS MOTIVA A CRIAR MAIS CONTEÚDO DE QUALIDADE PARA VOCÊ!

COMENTÁRIOS