Governo de esquerda na França assumirá ensino do árabe no país

Medo do extremismo islâmico leva o governo da França a assumir ensino de árabe no país.
Cerca de 3 milhões de pessoas usam o árabe diariamente na França, fazendo deste o idioma estrangeiro mais falado do país. As informações são do Ministério da Cultura francês.

No entanto, a língua árabe quase não é ensinada nas escolas públicas, o que levou as mesquitas e as associações particulares a preencher esta lacuna.

Agora, o governo do presidente Emmanuel Macron está preocupado com o crescente número de estudantes que aprendem árabe longe da supervisão do estado, o que abre espaço para a radicalização de jovens muçulmanos.

Com este cenário em mente, o Ministério da Educação da França anunciou em setembro um plano para retomar o controle do ensino do árabe para garantir um currículo secular, diferente da versão oferecida pelas associações, que podem tender ao extremismo.

O plano do ministério está causando alarme entre políticos de direita do país, registra o Estadão.

Luc Ferry, ex-ministro da educação, comentou que a medida equivaleria a permitir o islamismo nas escolas públicas.

VEJA TAMBÉM:  Policiais da Bolívia prendem homem acusado de matar família em SP

Por outro lado, muitos líderes da comunidade árabe defendem o plano do governo Macron.

GOSTOU DESTA NOTÍCIA? ENTÃO CURTA E COMPARTILHE, É GRÁTIS!

ASSINE O EXPRESSO DIÁRIO, É GRÁTIS

DEIXE UM COMENTÁRIO