Jean Wyllys, o hipócrita, disse que foi a “escada para Bolsonaro se eleger”

O ex-deputado do PSOL Jean Wyllys, que renunciou ao mandato de deputado federal e saiu do Brasil para morar no Exterior, mais precisamente em Berlim na Alemanha, uma das cidades consideradas mais segura do mundo e também capitalista, concedeu entrevista ao programa Conversa com Bial, da TV Globo nesta semana.

Jean se fez de perseguido político e estabeleceu sua moradia, não em Cuba, Venezuela ou Coreia do Norte, países socialistas e comunistas alinhados à esquerda política partidária que ele faz parte. Já explanamos sobre esse assunto em um artigo aqui do Jornal Expresso Diário, onde falamos dos fatos e delírios do ex-deputado.

Jean Wyllys disse ter sofrido ameaças de morte e por isso decidiu sair do país, ameaças essas que ele nunca provou pra ninguém, mas enfim é a palavra dele. No encontro com Bial, exibido na madrugada desta sexta-feira (12), ele falou das ameaças e constrangimentos da parte do presidente Jair Bolsonaro, vivenciados na época em que os dois eram parlamentares.

Jean comentou o episódio em que cuspiu no presidente Jair Bolsonaro, a vitória do político na eleição presidencial, e também fez planos para o futuro no país capitalista onde fez sua nova morada.

– Foi um transe que aconteceu não me arrependo de ter feito isso. Aquela figura [Bolsonaro] me enojava tanto, ele ter elogiado um torturador, ele me chamar de “queima-rosca” ali, naquele momento, naquela hora, que foi a reação que eu tive. Então cuspi na cara dele. Quero dizer que não me arrependo de nada, tenho orgulho de ter feito isso – destacou.

Questionado sobre as dúvidas e descrenças de parte da sociedade, durante o período eleitoral, sobre a possibilidade de vitória de Bolsonaro na eleição, Wyllys disse que estava ciente da iminente vitória de Bolsonaro.

— Eu sabia porque eu fui o laboratório para tudo o que Jair Bolsonaro fez depois. Eu fui a cobaia do laboratório e a escada que ele utilizou. Até eu chegar no parlamento e ele entender que a homofobia era um meio de interpelar a sociedade e disputar a hegemonia, ele era um político paroquial, conhecido no Rio de Janeiro, desqualificado, do baixo clero — declarou.

Sobre o futuro do atual governo, o ex-deputado não soube dizer se Bolsonaro termina ou não termina o mandato e declarou que não sabe se há qualquer base para um eventual pedido de impeachment.

— O que a gente não pode negar é que ele foi eleito. As fake news podem ter tido papel importante, as fake news foram impulsionadas pela força do poder econômico, ainda há que se investigar como isso foi feito, quem fez, de onde veio esses recursos, mas ele foi eleito — completou.

Wyllys só esqueceu de falar que quem foi multado pelo TSE por se beneficiar de fake news e impulsionar conteúdo contra Jair Bolsonaro foi o adversário Fernando Haddad PT, candidato ao qual Jean Wyllys apoiou.

Em reportagem da Folha, o ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Edson Fachin multou em R$ 176,5 mil Fernando Haddad (PT) por impulsionamento irregular de conteúdo desfavorável a Jair Bolsonaro (PSL), que saiu vencedor das eleições.

Segundo a decisão do ministro, documentos do Google comprovaram que a campanha de Haddad contratou uma empresa, por R$ 88,2 mil, para que um site intitulado “A Verdade sobre Bolsonaro” veiculasse trechos e artigos negativos sobre Jair Bolsonaro.

Jean Wyllys é a perfeita definição e conceito da hipocrisia humana. A hipocrisia é a qualidade daquele que usa uma máscara, que esconde quem ele realmente é, o que ele realmente acredita e quais são as suas verdadeiras intenções.

Hipocrisia também designa a atitude daqueles que defendem que determinada norma ou regra, especialmente moral, deveria ser aplicada para determinado grupo social, mas para outro não, neste caso para Jean, o socialismo deve ser para o povo e o capitalismo para ele.

O hipócrita usa sua dissimulação para manipular o outro em seu próprio benefício. É um egoísta mentiroso. Infelizmente, Jean Wyllys usa e abusa da hipocrisia com fins políticos e vitimista, nos enganando, fingindo sentimentos, virtudes e fatos.

Jean Wyllys usa da hipocrisia e do vitimismo para elucidar o coitadismo e manipular a massa. Confira:

  • Jean Wyllys crítica à GLOBO, mas foi revelado pela Globo no BBB.
  • Crítica severamente os RICOS, mas ganhava como parlamentar R$ 26.723,13 reais, com dezenas de benefícios.
  • Defende “incansavelmente” os gays mas ao mesmo tempo IDOLATRA e se VESTE de Che Guevara, um assassino sanguinário que o mataria apenas por beijar a bochecha de um homem.
  • Diz que um estuprador/criminoso de 17 anos não pode ser punido porque não sabe o que esta fazendo, mas criou um projeto para que uma criança de 12 anos de idade consiga autorização judicial para fazer cirurgia de mudança de sexo e tomar hormônios MESMO SEM O CONSENTIMENTO DOS PAIS!
  • Diz que punir não resolve, mas quer impor uma lei tornando a vida do homossexual mais valiosa, afinal, defende um projeto onde a pena por matar um homossexual seja maior que por matar um hétero.
  • Jean Wyllys diz defender uma minoria, tão minoria que talvez só inclua ele mesmo.

Wyllys pretende agora se dedicar à realização de um doutorado, lançará um livro sobre política e ministrará palestras. No período fora do país, confidenciou o desejo de viver momentos de solidão e anonimato, novas amizades e espaços para conviver, ações que até então para ele seriam inviáveis aqui no Brasil.


NOTA DO AUTOR: A Liberdade de expressão é um direito fundamental do homem que garante a manifestação de opiniões, ideias e pensamentos sem retaliação ou censura por parte de governos, órgãos privados ou públicos, ou outros indivíduos. No Brasil, a liberdade de expressão é garantida pelo artigo quinto da Constituição Federal.

DEIXE UM COMENTÁRIO

CONTEÚDO RECOMENDADO
loading...