A farra com o dinheiro dos pagadores de impostos brasileiros destinados a projetos “culturais” aprovados pelo governo ganhou mais um exemplo: um livro de fotografias de Chico Buarque foi aprovado para obter até R$ 417 mil por meio da Lei Rouanet.

De acordo com a descrição do projeto, o objetivo é “promover, através da produção de 2000 livros, ação educacional que tenha em vista a disseminação do conhecimento cultural de forma tangível à sociedade”.

As etapas do projeto também incluem “agendamento de apresentações e negociação com teatros”, “definição e contratação de shows”, “gravações em estúdio, mixagem e masterização”, “realização dos espetáculos” e “assessoria de imprensa com clipagem”, o que indica que os recursos solicitados pelo projeto podem ser destinados para serviços fora da área fotográfica.

A Lei Rouanet permite que empresas destinem o dinheiro dos pagadores de impostos – aqueles que efetivamente pagaram pelos produtos e serviços – para projetos aprovados pelo governo.

De acordo com dados do Ministério da Cultura, quase R$ 15,2 bilhões dos pagadores de impostos foram destinados a projetos “culturais” desde que a lei foi criada.

Os apoios à sugestão legislativa que visa acabar com a Lei Rouanet continuam abertos e podem ser feitos por meio deste link.

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM PRIMEIRA MÃO. CURTA E SIGA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS NOS BOTÕES ABAIXO

COMENTÁRIOS