Maduro já matou 18 vezes mais do que a Ditadura Militar brasileira

"Relatório da entidade aponta que, no país sul-americano, há uma tendência à criminalização da pobreza. Entre 2015 e junho de 2017 foram mais de 8,2 mil execuções extrajudiciais"

Relatório da Anistia Internacional (AI) publicado na quinta-feira (20) afirmou que forças de segurança da ditadura socialista de Nicolás Maduro usam força letal com intenção de matar os setores da população mais vulneráveis e excluídos.

De acordo com o relatório da AI, o esquerdista Nicolás Maduro está criminalizando a pobreza na Venezuela.

Foram contabilizadas mais de 8.200 execuções extrajudiciais entre 2015 e junho de 2017 – número 18 vezes maior do que o de mortos e desaparecidos durante o regime militar no Brasil, de acordo relatório final da Comissão Nacional da Verdade (CNV).

Erika Guevara-Rosas, diretora para Américas da Anistia Internacional, afirmou:

A Venezuela está passando por uma das piores crises de direitos humanos em sua história. A lista de crimes sob o direito internacional contra a população está aumentando.

Em 2017, a taxa de homicídio foi de 89 por 100.000 habitantes, mais alta que em El Salvador (60) e três vezes mais alta que no Brasil (29,7), citando dados da fundação InSight Crime.

Amauricio Borba

Formado em Economia, Jornalismo e Ciências Políticas pela UNIVILLE – SC. Gaúcho de nascimento e catarinense de coração. Conservador de Direita sempre em defesa da ética, da liberdade de expressão e por um Brasil mais justo. Apaixonado por vendas é fundador do Jornal Expresso Diário
Amauricio Borba

DEIXE UM COMENTÁRIO