“Nosso filme Marighella é maior que Bolsonaro”,diz Wagner Moura

Marighella já está dando o que falar até mesmo antes de estrear no Brasil. Exibido na noite de sexta (15), fora de competição, na 69ª edição do Festival de Berlim, o filme dirigido por Wagner Moura teve protestos no tapete vermelho.

Aos brados de Marielle Presente (em referência à vereadora carioca, assassinada a tiros no Rio de Janeiro em março de 2018), Moura levou consigo uma placa de rua como forma de relembrar que, até agora, o crime não foi solucionado.

O que está repercutindo também foi a declaração do diretor durante a coletiva de imprensa do filme, que mostra a trajetória do guerrilheiro comunista Carlos Marighella, assassinado durante o regime militar em 1969 e é interpretado por Seu Jorge.

“Nosso filme é maior que Bolsonaro. Não é uma resposta a ele, mas obviamente esse é um filme, provavelmente um dos produtos culturais da arte brasileira que, obviamente, está em contraste com o grupo que está no poder no Brasil”, respondeu Moura, em inglês.

Estão circulando na internet momentos da coletiva de imprensa de Marighella. O original está em inglês (que pode ser visto clicando aqui), mas escolhi uma versão editada, porém legendada. Por enquanto, Marighella ainda não tem data de estreia no Brasil.

O EXPRESSO DIÁRIO É UMA MÍDIA ALTERNATIVA CONSERVADORA PARA QUEM BUSCA INFORMAÇÕES PRECISAS E INTERPRETAÇÕES EQUILIBRADAS DOS PRINCIPAIS FATOS DO BRASIL E DO MUNDO. CURTA É GRÁTIS!

ASSINE O EXPRESSO DIÁRIO, É GRÁTIS

DEIXE UM COMENTÁRIO