Novo partido de direita tenta salvar Angola de um regime tirano, totalitário, e genocida

Em Angola, ao término de um ciclo de 40 anos sob o regime tirano, totalitário, despótico e genocida orquestrado por um só partido – O MPLA, surge o MOVIMENTO DE UNIÃO NACIONAL – M.U.N.

É fundamental, uma nova força política, nova concepção de sociedade, novo sistema político, novo sistema de pensamento que, destrua o atual desequilíbrio e crie um novo e harmonioso equilíbrio, beneficiando todos no geral, trazendo justiça a um povo que foi injustiçado ao longo de séculos e, em particular nos últimos 42 anos.

É preciso uma força política que esteja livre do controle e domínio do MPLA.
É necessária uma organização política que pense diferente, que decida agir contra todas as leis e todas as estruturas estabelecidas pela ditadura.

É imperativo um partido político armado capaz de avançar até Luanda não influindo o apoio que o MPLA granjeia dentro da cidade, é imprescindível um partido que não necessite de uma Jamba mas sim de uma Luanda, é preciso um partido com uma nova concepção de sociedade e uma nova visão de política, onde negros, brancos e mestiços angolanos se sintam donos do partido e todos rumo ao desenvolvimento de uma Angola sem ditadura, sem o MPLA.

Para se tornar membro do M.U.N., discorre-se num processo muito fácil e rápido, com requisitos muito básicos, por estarmos à mercê de uma revolução.

Primeiro requisito é a autoconsciência do cidadão em aspirar fazer parte do MOVIMENTO DE UNIÃO NACIONAL.

A sua consciência deve reconhecer que o País carece de uma mudança absoluta e imediata que, tu és a pedra angular para concretizar o sonho de todos os angolanos A PÁTRIA dos nossos sonhos, dos nossos ideais e que esta mudança deve acontecer atuando como um elemento capital no seio do MOVIMENTO DE UNIÃO NACIONAL.

Sentir-se um verdadeiro angolano, a sua raça, o seu sotaque e o sítio de nascimento não nos importa, desde que tenhas ligação de sangue e de história a Angola, saiba que és bem-vindo (a).

Em segundo, o interessado deve procurar conectar-se diretamente ao website ou nas páginas de mobilização e conexão social como Facebook, ou através de um elemento do MUN e expressar a sua vontade de se tornar membro e solicitar, uma ficha de membro e preenchê-la.

Em terceiro, preencher a ficha de membro que o obrigará mais tarde a apresentar-se a um Delegado da Organização para o juramento Partidário que simboliza o seu compromisso com a Revolução e o Estado através do M.U.N.

A outra forma é escrevendo para o partido através do correio eletrônico info@mun-patria.com pedindo a sua filiação.

GOSTOU DESTA NOTÍCIA? ENTÃO CURTA E COMPARTILHE, É GRÁTIS!

ASSINE O EXPRESSO DIÁRIO, É GRÁTIS

COMENTÁRIOS