A polícia invadiu uma orgia gay de padres regada a drogas no Vaticano

3

Uma santa orgia gay regada de drogas, sexo e muita safadeza foi descoberta pela polícia vaticana dentro do Vaticano.

Informado sobre a batida policial, o Papa Francisco teria ficado “furioso” aos saber da orgia gay regada a drogas dentro do Vaticano, no apartamento de um padre de alto escalão da Igreja.

A informação é do jornal italiano II Fatto Quotidiano, que noticiou que a polícia teria invadido o apartamento do padre depois que vizinhos reclamaram de comportamento estranho e de “pessoas entrando e saindo” do local.

Lá dentro, eles teriam topado com uma orgia gay e muitas drogas. Havia muitos padres, homens nus, maconha e muita cocaína. O jornal italiano informou que o Papa estava furioso com a notícia.

O organizador da festinha era um assessor de 50 anos do Cardeal Francesco Coccopalmerio — presidente de muitas congregações, incluindo do Conselho Pontífice de Textos Legislativos — chamado Luigi Capozzi.

Coccopalmerio é uma figura importante na Igreja, sendo um dos conselheiros-chave do Papa — ele foi indicado ao posto em 2007 por intermédio do Papa Bento.

O apartamento onde tudo aconteceu era de propriedade da Congregação para Doutrina da Fé– às vezes chamado de Palácio do Santo Ofício – e um frequentador típico do lugar era Coccopalmerio.

Capozzi, que é um monsenhor, foi preso quando a orgia de padres foi desbaratada, mas nenhuma queixa foi prestada ainda.

Capozzi também teria sido levado a um hospital para se desintoxicar das drogas que consumiu.

Além de seguidos escândalos de pedofilia, parece que o Vaticano está passando, na falta de um termo melhor, por um pequeno problema de orgias.

Em 2015, um padre de 50 anos no sul da Itália foi suspenso por se envolver em orgias gays, e no começo do ano, um padre de Nápoles foi suspenso por alegações similares.

Em Portugal um padre promovia orgias com meninos menores, usava e escondia drogas dentro da Igreja. O Jornal Il Fatto Quotidiano informou que a aposentadoria de Coccopalmerio pode ser acelerada como resultado da orgia patrocinada pelo assessor do Papa.

O ato grupal de sexo foi realizado no mês passado, mas só ganhou notoriedade nesta terça-feira, quando o jornal The Times publicou a façanha.

Esta matéria foi originalmente publicada na VICE Canadá .

CURTA O JORNAL EXPRESSO DIÁRIO NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS