Suécia permite a poligamia aos imigrantes muçulmanos

Como é habitual na Suécia, os imigrantes gozam de mais vantagens do que outros cidadãos e até têm a aprovação de feministas e outras organizações que defendem os direitos das mulheres, para realizar ações que, se desempenhassem um papel de liderança local, seria totalmente criticado.

Nesta ocasião, as feministas suecas permitiram que os imigrantes tenham mais de uma mulher se desejarem.

De acordo com o jornal Dagens Juridik, pelo menos 307 imigrantes se registraram como polígonos, uma prática comum nos países muçulmanos, mas na Europa é considerada ilegal. Destes, 152 são homens e os outros 155 são mulheres. Além disso, 38 casamentos foram realizados por mais de duas pessoas.

Este aumento da poligamia na Suécia deve-se ao grande número de imigrantes de países muçulmanos que o país recebeu nos últimos anos.

Suad Mohamed, um islamista que viveu na Suécia há 32 anos, defende a poligamia e acredita que deve ser aceito porque os casamentos homossexuais foram: “Todos os muçulmanos que acreditam no Alcorão sabem que podem ter vários mulheres “.

“Os muçulmanos podem ter uma mulher principal e até dez mulheres secundárias”, acrescenta.

JORNALISMO DE QUALIDADE MERECE SER APOIADO, CURTA O EXPRESSO DIÁRIO NO FACEBOOK E ACOMPANHE AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES

COMENTÁRIOS