Vacinas para pets: por que são obrigatórias?

Os animais devem ser vacinados desde filhotes para evitar doenças que podem ser fatais ou transmitida para os humanos.

Você já teve doenças como sarampo, tétano e hepatite B? Se a resposta foi não, muito provavelmente é porque você tomou todas as suas vacinas quando era criança. Ao aplicar esse mesmo raciocínio para cães e gatos, dá para entender o porquê a importância da vacinação.

Vacinar nada mais é do que é criar artificialmente e com segurança uma proteção contra determinadas doenças contagiosas e graves, impedindo que o seu pet adoeça.

As vacinas são preparadas a partir de vírus e/ou bactérias enfraquecidos. Quando aplicados no organismo, eles estimulam a produção de anticorpos, defensores do corpo e responsáveis pela resistência do animal às doenças.
Se o seu pet entrar em contato com esses agentes, ele já estará pronto para expulsá-los sem causar grandes prejuízos à saúde.

A vacinação adequada de cães e gatos também é muito importante para os seres humanos. Algumas doenças, como a raiva, são consideradas zoonoses, ou seja, podem afetar os pets e os humanos, levando até à morte.

Assim como as crianças, os pets também possuem um calendário de vacinação próprio para que fiquem imunizados do início ao fim da vida. Descubra quais são as vacinas obrigatórias e o momento certo de vacinar o seu peludo!

Vacinas básicas para cães e gatos
São apenas três as vacinas essenciais para os cães e duas para os gatos:

V8 ou V10
É uma vacina polivalente para cães, que protege contra oito ou dez tipos de doenças, dependendo da dose que você escolher aplicar. A V8 é um pouco mais barata e a V10 tem o preço superior.

As vacinas protegem contra duas das doenças mais perigosas para os filhotes: cinomose e parvosirose. Além disso, elas ajudam a evitar hepatite, adenovírus, coronavírus, parainfluenza e leptospirose.

Ela deve ser aplicada em três doses: a primeira quando o pet tem 42 dias de vida, a segunda 63 dias após o nascimento e a última aos 84 dias de vida. Anualmente, é preciso reaplicar uma dose.

Gripe canina
Se você aplicou a vacina V8 no seu cachorro, o indicado é realizar a vacinação com essa, que vai complementar a anterior e proteger o pet contra os vírus da gripe (adenovírus, parainfluenza e bordetella), uma doença infecciosa também entre os cães.
A aplicação deve ser feita aos 63 e aos 84 dias de vida, juntamente com a V8.

V3 ou V4
Para os gatos, essas são as vacinas polivalentes que imunizam contra doenças como panleucopenia, rinotraqueíte, calicivirose e, ainda, clamidiose, no caso da V4. A versão mais completa é um pouco mais cara.

Assim como nos cães, a imunização deve ser feita em três doses, no segundo, terceiro e quarto mês de vida, além da dose anual de reforço para evitar as doenças.

Antirrábica
Para cachorros e gatos, a vacina que protege contra a raiva é tão importante que é a única que o governo exige, já que a doença pode ser transmitida para humanos e causar muitos problemas para a saúde pública.

A vacina é oferecida gratuitamente em todo o país por meio de campanhas regulares de vacinação. O mês de agosto é conhecido como “Mês do cachorro louco”, portanto, se informe na sua cidade sobre o período em que a vacina será disponibilizada.

Os filhotes a partir dos seis meses de vida que já tiverem completado o calendário de vacinação podem tomar a vacina que imuniza contra a raiva. Tanto os cães quanto os felinos precisam tomar essa vacina todos os anos.

Vacinas complementares
Ao completar o calendário básico de vacinação, cachorros e gatos estão seguros contra muitas das doenças que podem trazer riscos para a saúde.
Porém, dependendo das condições em que os pets vivem, da sua região geográfica e de seus recursos financeiros, vale a pena investir um pouco mais para que os animais de estimação fiquem ainda mais protegidos.

Os cachorros que vieram de canis ou abrigos ou que têm contato frequente com outros animais devem tomar mais duas vacinas: contra a giardíase e contra a tosse dos canis. Os que vivem em ambiente úmidos também podem contar com mais esse reforço para a saúde.

Já no caso dos gatos, aqueles que apresentam predisposição à leucemia devem ser imunizados com a V5.

Se você for levar o seu pet a uma viagem para outro país, ele pode precisar de novas vacinações, de acordo com as exigências sanitárias do seu destino. Informe-se sobre a necessidade conforme o local que você vai visitar.

Reações das vacinas
As vacinas são extremamente seguras para os animais de estimação, desde que eles estejam em boas condições de saúde. É por isso que, desde os primeiros dias de vida, os pets devem ser acompanhados por um médico veterinário.

Mesmo saudáveis, em alguns casos os pets podem apresentar complicações impossíveis de prever. Alergias, coceiras, dificuldades respiratórias, vômito, falta de coordenação motora, dificuldade para caminhar e paralisias são algumas delas.

Na maioria das vezes, todos esses problemas podem ser resolvidos por um veterinário SP. No entanto, após a aplicação, é preciso ficar de olho no comportamento do pet para que ele não desenvolva ainda mais complicações, o que pode ser fatal.

De qualquer forma, a vacinação é uma obrigação de tutores responsáveis de animais de estimação. Consultando um profissional qualificado em uma clínica de confiança, você irá proporcionar ao seu pet muito mais saúde, anos de vida e alegrias para a sua vida.


GOSTOU DESTA NOTÍCIA? ENTÃO CURTA E COMPARTILHE, É GRÁTIS! ISSO NOS MOTIVA A CRIAR MAIS CONTEÚDO DE QUALIDADE PARA VOCÊ!

AJUDE A MANTER ESTE SITE ONLINE, FAÇA UMA DOAÇÃO


COMENTÁRIOS