Nova Miss EUA é cientista nuclear, negra, e não quer ser confundida com feministas

LAS VEGAS, NV - MAY 14: Miss District of Columbia USA 2016 Kara McCullough reacts after being crowned Miss USA 2017 during the 2017 Miss USA pageant at the Mandalay Bay Events Center on May 14, 2017 in Las Vegas, Nevada. (Photo by Ethan Miller/Getty Images)

No último domingo (14) Kára McCullough, que até então era a Miss Colúmbia, foi coroada como Miss Estados Unidos da América 2017.

Por ser a primeira negra a ganhar o concurso, grupos feministas tentaram capitalizar politicamente em cima disso, mas se deram muito mal.

Kára McCullough é cientista nuclear e, fugindo ao padrão da maioria das concorrentes, é considerada extremamente inteligente.

Quando questionada sobre ser feminista, para desespero da esquerda, ela disse:

“Eu realmente não quero me considerar – tente não me considerar como alguém intransigente, você sabe, ‘Oh, eu realmente não me importo com os homens’. Mas uma coisa que eu vou dizer, porém, é: Mulheres, somos tão iguais quanto os homens quando se trata de oportunidade no mercado de trabalho.”

Kára também afirmou que o Obamacare não se trata de um direito, mas de um privilégio.

Ela recebeu a coroa diretamente das mãos de Deshauna Barber, vencedora do concurso no ano passado que é militar e formada em TI.

O EXPRESSO DIÁRIO É UMA MÍDIA ALTERNATIVA CONSERVADORA PARA QUEM BUSCA INFORMAÇÕES PRECISAS E INTERPRETAÇÕES EQUILIBRADAS DOS PRINCIPAIS FATOS DO BRASIL E DO MUNDO. CURTA É GRÁTIS!

ASSINE O EXPRESSO DIÁRIO, É GRÁTIS

DEIXE UM COMENTÁRIO