Conheça Boyan Slat, que trabalha para limpar os oceanos

Retrato de Boyan Slat
Foto: Getty Images.

Boyan Slat, de 25 anos de idade, é um ambientalista e inventor holandês, além de ser o fundador e diretor da fundação The Ocean Cleanup (“A Limpeza Do Oceano”). Ele e sua fundação desenvolvem tecnologias para retirar os resíduos plásticos dos oceanos.

System 001

A primeira dessas tecnologias é o System 001, que reúne os resíduos plásticos em uma rede, para que mais tarde eles sejam coletados por embarcações. Este sistema é vantajoso por ser passivo, ou seja, trabalhar “por conta própria”, utilizando apenas as forças naturais do oceano (ventos, ondas e a corrente). Tanto o plástico quanto o sistema são carregados por essas forças. Este sistema é mostrado no vídeo abaixo.

A primeira coleta de plástico do System 001, na região chamada de Grande Depósito de Lixo do Pacífico.
O System 001. Foto: The Ocean Cleanup.

A embarcação “Interceptor”

No entanto, como o próprio Boyan Slat afirma no canal da fundação no YouTube, essa não é a tática mais eficiente; o ideal seria coletar os resíduos plásticos antes que eles cheguem aos oceanos, ou seja: nos rios. De acordo com um levantamento da própria fundação, 80% do lixo plástico dos oceanos é oriundo de mil rios. Por isso, ele e a fundação também trabalham no Interceptor (“Interceptador”), uma embarcação relevada há alguns meses e projetada para coletar o lixo plástico nos rios. Basicamente, os resíduos plásticos dos rios entram no interceptador através de uma rampa, uma “espécie de escada rolante” — assista ao vídeo abaixo.

Interceptor 002 em funcionamento, na Malásia.

Atualmente, há dois interceptadores em uso. O primeiro deles está operando em Jacarta, capital da Indonésia, e o segundo, está operando no rio Klang, na Malásia. Além disso, a fundação The Ocean Cleanup também trabalha para reciclar o plástico que ela mesma está retirando dos oceanos.

É interessante saber que o Boyan Slat criou o conceito do System 001 aos 18 anos, quando cursava engenharia aeroespacial na Universidade de Tecnologia Delfit, na Holanda. Então, ele decidiu abandonar o curso para se dedicar a esse trabalho também importante e honrado.

O empreendedorismo é uma forma grandiosa de ajudar o meio ambiente e, assim, salvar vidas e preservar a saúde pública. Não se pode apenas reclamar da situação ambiental, acusar pessoas e afirmar que a humanidade deveria ser extinta. Deve-se trabalhar para melhorar a situação e resolver os problemas, ou, então: apoiar, de algum modo, quem faz algo pelo meio ambiente.

DEIXE UM COMENTÁRIO