Thammy tem posse suspensa na Câmara de SP e acaba humilhada: ‘era menina quando conheci’

Thammy Miranda se arrumou todo, colocou seu melhor terno e se dirigiu ao Palácio Anchieta, na região central de São Paulo, onde funciona a Câmara de Vereadores da maior cidade do país.

A expectativa era que Thammy, do PP, assumisse a vaga deixada por Camilo Cristófaro. Mas houve reviravolta no caso.

Cristófaro (PSB) havia sido cassado, mas conseguiu recuperar após decisão tomada pelo ministro Edson Fachin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Thammy, que compareceu à cerimônia de posse que não existiu, discursou na tribunal à conte do presidente da Câmara dos Vereadores, Eduardo Tuma.

Em seu discurso, a filha de Gretchen lamentou a decisão da Justiça de devolver o mandato à Cristófaro. Thammy foi aplaudido no plenário por alguns dos vereadores presentes. Cristófaro também foi bem recebido por alguns e chamado de “corrupto” por uma opositora, de acordo com reportagem do UOL.

O vereador do PSB ainda se envolveu em uma polêmica de gênero. Ele se referiu a Thammy no feminino. Tuma, o presidente da casa, o corrigiu. “Era menina quando conheci“, afirmou Camilo, que comemorou a decisão da Justiça ao seu favor.

Ao UOL, Thammy, que nasceu mulher e passou por uma transformação para ser homem e agora pretende ser pai, lamentou ter sido chamado no feminino. “Essa é a intolerância que a gente sofre todos os dias, ele é só mais um. Isso me dá mais força ainda para lutar“, afirmou.

Por enquanto, Camilo segue no cargo de vereador, e Thammy segue como suplente. Não foi dessa vez que uma transexual assumiu vaga na Câmara de Vereadores de São Paulo.

Amauricio Borba

Formado em Economia, Jornalismo e Ciências Políticas pela UNIVILLE – SC. Gaúcho de nascimento e catarinense de coração. Conservador de Direita sempre em defesa da ética, da liberdade de expressão e por um Brasil mais justo. Apaixonado por vendas é fundador do Jornal Expresso Diário
Amauricio Borba

DEIXE UM COMENTÁRIO