Após derrota em prévias, Macri aumenta salário mínimo e congela preço da gasolina

Brasília - Presidente da Argentina, Mauricio Macri, deixa o Congresso Nacional após ser recebido pelos presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciou uma série de medidas econômicas nesta quarta-feira (14).

A ação vem após a derrota sofrida nas prévias eleitorais do último domingo (11).

Foram anunciados bônus de até 2 mil pesos extras aos trabalhadores.

Informais e desocupados irão receber pagamentos extras do benefício que recebem por seus filhos.

Empregados públicos e militares receberão um abono de 5 mil pesos no final do mês.

O presidente argentino também anunciou que o salário mínimo será aumentado, mas não informou o valor, que deve ser definido durante a reunião do conselho de salário.

Além disso, o preço da gasolina será congelado por 90 dias.

De acordo com Macri, a medida foi tomada para que o valor do combustível “não seja afetado pela desvalorização” da moeda argentina.

“As medidas que tomei e que vou compartilhar agora são porque os escutei. Escutei o que quiseram dizer no domingo. São medidas que vão trazer alívio a 17 milhões de trabalhadores e suas famílias.

E a todas as pequenas e médias empresas, que sei que estão passando por um momento de muita incerteza”, afirmou o presidente durante pronunciamento.

DEIXE UM COMENTÁRIO