Segunda aplicação do exame será feita aos inscritos que não puderam realizar as provas na data regular – dias 5 e 6 – por causa das ocupações nas escolas onde seria aplicado o exame

A segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016, que ocorrerá nos dias 3 e 4 de dezembro, gerou o custo de R$ 10.512.564,33 ao governo federal.

Os cálculos do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) incluem os gastos com impressão, aplicação, correção e distribuição das provas e materiais administrativos.

A reaplicação da avaliação será feita aos inscritos que não puderam realizar as provas na data regular, em 5 e 6 de novembro, por causa das ocupações de escolas de educação básica e instituições de ensino superior em vários estados brasileiros. Diante disso, a realização do Exame ficou inviabilizada para aproximadamente 3% dos inscritos, uma vez que essas mobilizações comprometiam a segurança necessária aos participantes e às provas em si.

Outras contingências prejudicaram residualmente a participação de alguns inscritos, os quais também poderão fazer as provas na segunda aplicação. Entre esses casos estão, principalmente, problemas de infraestrutura, como interrupção temporária do fornecimento de energia elétrica.

Locais de prova

Na próxima terça-feira (22), o Inep divulgará os novos locais de prova e o número final de inscritos habilitados a fazer as provas em dezembro.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Inep

COMENTÁRIOS