Bolsonaro diz que tomará conhecimento do ENEM antes da prova

307

O presidente da República eleito, Jair Bolsonaro (PSL), fez novas críticas nesta sexta-feira, 9, ao que entende como doutrinação ideológica no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Em uma transmissão ao vivo em seu perfil no Facebook, ele afirmou que, a partir de 2019, seu governo irá “tomar conhecimento da prova antes” e anunciou que o ministro da Educação a ser escolhido deve “entender que nós somos um país conservador”.

As críticas do presidente eleito recaem, sobretudo, à questão da prova de linguagens e ciências humanas do Enem deste ano que tratava sobre o “pajubá”, “dialeto secreto” adotado por gays e travestis.

Na terça-feira, 6, dois dias após o primeiro dia de avaliação, Bolsonaro havia publicado em sua conta no Twitter que considera a avaliação um “vexame” e “doutrinação exacerbada”. O segundo dia do exame será no próximo domingo, 11.

“Educação é um ministério complicado. Essa prova do Enem, vão falar que eu estou implicando, agora, pelo amor de Deus, esse tema da linguagem particular daquelas pessoas, que que nós temos a ver com isso, meu Deus do céu?

A gente vai ver a tradução daquelas palavras, um absurdo, um absurdo, vai obrigar a molecada a se interessar por isso agora para o Enem do ano que vem. Pode ter certeza, fique tranquilo, não vai ter questão dessa forma no ano que vem, nós vamos tomar conhecimento da prova antes”, criticou Bolsonaro.

O presidente eleito anunciou que o Enem sob sua gestão “vai ter pergunta sobre geografia, dissertações sobre história, questões realmente voltadas para o futuro da nossa geração e não essas questões menores”.

GOSTOU DESTA NOTÍCIA? ENTÃO CURTA E COMPARTILHE, É GRÁTIS! ISSO NOS MOTIVA A CRIAR MAIS CONTEÚDO DE QUALIDADE PARA VOCÊ!

ASSINE O EXPRESSO DIÁRIO, É GRÁTIS

COMENTÁRIOS

FONTEVeja
COMPARTILHAR
Formado em Administração de Empresas, Economia, Jornalismo e Ciências Políticas, apaixonado por vendas, e mantem este site por hobby.