Conselheiro de Trump anuncia encontro com Bolsonaro

Responsável por assessorar presidente dos EUA em temas de segurança nacional, "falcão” John Bolton afirma que está "ansioso” para se reunir com presidente eleito do Brasil no final de novembro.

O conselheiro de segurança nacional do Presidente dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira (21/11) que vai viajar ao Rio de Janeiro em 29 de novembro e participar de uma reunião com o presidente eleito Jair Bolsonaro.

“Ansioso para encontrar o próximo Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, no Rio, em 29 de novembro. Compartilhamos muitos interesses bilaterais e trabalharemos juntos para expandir a liberdade e a prosperidade em todo o hemisfério ocidental”, escreveu John Bolton na sua conta no Twitter.

Ex-embaixador dos EUA nas Nações Unidas durante o governo George W, Bush, Bolton é um crítico feroz de regimes como o da Venezuela e de Cuba e defende uma abordagem mais dura da Casa Branca em relação ao Irã. Durante o governo W. Bush, ele apoiou abertamente a invasão do Iraque. Pelas suas posições duras em temas externos e defesa, Bolton é frequentemente descrito como um “falcão” pela imprensa americana.

Ele assumiu o papel de conselheiro de Trump em abril deste ano. Ele também trabalhou para as administrações de Ronald Reagan e George H. Bush no final dos anos 1980 e início dos 1990. Ele também trabalhou como comentarista no canal conservador Fox News.

Este será o primeiro encontro oficial entre um representante do núcleo do presidente Donald Trump e o futuro chefe de Estado brasileiro. No início de novembro, pouco depois do segundo turno das eleições presidenciais, Bolsonaro se encontrou com embaixador americano no Brasil, P. Michael McKinley.

A reunião entre Bolton e Bolsonaro está prevista para ocorrer na véspera da reunião do G20 em Buenos Aires, na Argentina.

O presidente do Brasil, Michel Temer, convidou, este mês, Bolsonaro a acompanhá-lo na reunião do G20, mas fontes da equipe do futuro chefe de Estado disseram que o presidente eleito não poderá participar por motivos de saúde ainda decorrentes do ataque a faca que ocorreu durante a campanha eleitoral.

O conselheiro de segurança nacional do presidente dos EUA vai aproveitar a viagem a Buenos Aires para visitar o Brasil no dia anterior, em um novo sinal do interesse da Casa Branca em estreitar relações com Bolsonaro.

Trump telefonou a Bolsonaro no dia 29 de outubro para felicitá-lo pela sua vitória eleitoral e os dois concordaram em “trabalhar estreitamente” em “assuntos militares, comerciais e tudo o mais”, disse o presidente americano no Twitter.

John Bolton descreveu Bolsonaro como um “aliado com ideias semelhantes” durante um discurso que fez sobre a América Latina, no início deste mês, em Miami, nos EUA.

GOSTOU DESTA NOTÍCIA? ENTÃO CURTA E COMPARTILHE, É GRÁTIS!

ASSINE O EXPRESSO DIÁRIO, É GRÁTIS

COMENTÁRIOS