Ministro do STF, Barroso detona “euforia dos corruptos” com supostos vazamentos da Lava Jato

O Supremo Tribunal Federal (STF) volta a julgar a restrição ao foro privilegiado para parlamentares e ministros. A discussão sobre o caso foi interrompida em junho por um pedido de vista do ministro Alexandre de Moraes. O placar do julgamento está em quatro votos pela restrição. Brasilia, 23-11-2017. Foto: Sérgio Lima/PODER 360

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, criticou a “euforia que tomou os corruptos e seus parceiros” com a publicação dos supostos diálogos de Moro e Deltan Dallagnol.

O ministro foi enfático ao declarar que “A corrupção existiu e precisa continuar a ser enfrentada, como vinha sendo. De modo que tenho dificuldade em entender a euforia que tomou os corruptos e seus parceiros”.

“Todo mundo sabe, no caso da Lava Jato, que as diretorias da Petrobras foram loteadas entre partidos com metas percentuais de desvios. Fato demonstrado, tem confissão, devolução de dinheiro, balanço da Petrobras, tem acordo que a Petrobras teve que fazer nos EUA”, continuou ele.

E concluiu: “A única coisa que se sabe ao certo, até agora, é que as conversas foram obtidas mediante ação criminosa. E é preciso ter cuidado para que o crime não compense”.

Com informação de Andréia Sadi e dO Antagonista.

DEIXE UM COMENTÁRIO