Entenda como o avanço da telemedicina facilita a gestão hospitalar

Telerradiologia, telemonitoramento, teleconsulta e outras especialidades contribuem para qualidade dos serviços.

A telemedicina cresceu imensamente nas últimas décadas, em especial após os anos 1990, devido ao desenvolvimento da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) aplicada à área da saúde.

Atualmente, além de impactos nos atendimentos e prestação de serviços médicos, a telemedicina também influencia a gestão hospitalar, facilitando processos e reduzindo as burocracias necessárias para execução de diferentes solicitações.

A telemedicina atende diversos desafios atuais da prestação de serviços em saúde como aumento da demanda, o envelhecimento da população e a necessidade de gerenciar grandes quantidades de informação.

Quais áreas da telemedicina mais impactam os serviços de saúde?

Basicamente, a telemedicina pode ser entendida como uma especialidade que visa à superação do fator distância como um limitante da prestação de serviços médicos, seja na realização de exames e diagnósticos, como tratamento e monitoramento.

Quatro subcategorias que compõem a área podem ser destacadas como as mais significativas para alcançar os objetivos de universalização da saúde, redução de custos e facilidade de gestão. Conheça a seguir!

Teleconsulta

Área que visa o acompanhamento, diagnóstico ou tratamento de pacientes independentemente da distância. Para que esse serviço seja possível é fundamental contar com um sistema de informação entre clínica, laboratórios e pacientes.

A teleconsulta torna possível que o médico faça atendimento ao paciente em diversas especialidades, como dermatologia, psiquiatria, cardiologia e outras. O grande diferencial é a eliminação da necessidade de deslocamento.

Esse benefício é mais impactante em regiões afastadas e rurais, por exemplo, nas quais os fatores transporte e o deslocamento são mais críticos.

Telemonitoramento

A especialidade contribui para o acompanhamento dos pacientes, inclusive aqueles com doenças crônicas que exigem assistência constante. Esses processos são realizados por meio da incorporação de parâmetros biológicos, fisiológicos e biométricos.

O telemonitoramento pode ser realizado por meio de dispositivos wearables conectados à internet, fazendo o envio automático das informações vitais do paciente ao médico responsável.

Essa solução proporciona mais autonomia ao paciente sobre a própria saúde, permitindo uma atuação mais proativa na manutenção dos cuidados e reduzindo a necessidade de internação.

Telecirurgia

Apesar de menos comum do que as demais especialidades, a telecirurgia também está no escopo de serviços da telemedicina que contribuem para melhorar o acesso e diminuir custos relacionados com os procedimentos de saúde.

Nessa área é utilizada a robótica e realidade virtual para a realização de procedimentos a distância e experimentais, viabilizando que especialistas realizem técnicas sem exigir o deslocamento.

Telerradiologia

Uma solução bastante difundida no Brasil é a telerradiologia. Essa subespecialidade da telemedicina consiste na terceirização dos laudos de exames de imagem com o objetivo de reduzir os custos e aumentar a qualidade e agilidade nesse processo.

A empresa especializada conta com um corpo técnico qualificado, enquanto a tecnologia ajuda a reduzir o tempo de resposta das demandas e garantir eficiência e segurança para os dados dos pacientes.

O acesso rápido aos laudos médicos viabiliza um diagnóstico mais preciso e precoce, permitindo um início imediato de tratamento e aumentando as chances de cura.

Como a telemedicina facilita a gestão hospitalar?

Inicialmente a implantação da telemedicina estava muito relacionada à qualidade, eficiência e custos dos serviços médicos oferecidos. No entanto, as próprias características da solução viabilizaram que ela torna-se fundamental na melhora da gestão hospitalar.

Desburocratização

A telemedicina contribui para a desburocratização de alguns processos o que facilita uma resolução mais rápida das questões. Por exemplo, em vez de aguardar uma solicitação por escrito, envio de exames físicos e espera pelo retorno, a solução facilita a demanda por exames.

As informações necessárias são adicionadas no software de telerradiologia, o exame já possui uma versão digital e esses dados são enviados para a empresa parceira. Em casos urgentes, o laudo é devolvido em menos de 30 minutos sem necessidade de nenhum papel impresso, autorização do seguro, assinatura etc.

Agilidade dos processos

Assim como na demanda por exames, outros processos são agilizados com a telemedicina, como o agendamento de consultas e exames diretamente pela internet, diminuindo a necessidade de profissionais para marcação e controle de agenda.

O paciente passa a ter autonomia em diferentes etapas o que faz com que haja menos processos que precisem ser planejados e executados pelos profissionais de saúde.

Como resultado, há um impacto direto na gestão, pois novos processos automatizados e simplificados são desenvolvidos, enquanto aqueles manuais e desatualizados são substituídos, buscando eficiência, mas também qualidade.

Redução de profissionais diretos

A telerradiologia, por exemplo, é uma especialidade que reduz a necessidade de profissionais diretos na clínica ou hospital. A contratação de um médico especialista para laudar exames é custosa e complexa, pois o indicado é que cada tipo de exame seja analisado por um profissional especializado na área.

Ao terceirizar, a clínica passa a pagar por exame laudado com a garantia de que profissionais especializados serão responsáveis por exames compatíveis com a experiência, aumentando a qualidade ao mesmo tempo em que reduz os custos.

Desenvolvimento tecnológico

A tecnologia está constantemente em desenvolvimento, de forma que a telemedicina passa por melhorias e novidades frequentemente, impactando a gestão hospitalar e exigindo atualização dos gestores e profissionais da saúde.

O objetivo é que cada vez mais haja equidade no acesso aos serviços, trabalho colaborativo entre as equipes, eficiência na prestação do atendimento e redução de custos.

Opções como a telerradiologia, telemonitoramento e outras contribuem para facilitar a gestão hospitalar, entretanto, para que esses benefícios sejam possíveis é preciso uma equipe apta à realização dos processos digitais e informação aos pacientes.

Amauricio Borba

Formado em Economia, Jornalismo e Ciências Políticas pela UNIVILLE – SC. Gaúcho de nascimento e catarinense de coração. Conservador de Direita sempre em defesa da ética, da liberdade de expressão e por um Brasil mais justo. Apaixonado por vendas é fundador do Jornal Expresso Diário
Amauricio Borba

DEIXE UM COMENTÁRIO