Guardas aliados de Maduro são acusados de pressionar prisioneiras a fazer sexo

Um relatório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos apontou que a situação na Venezuela é ainda pior do que se imagina.

Guardas que atuam sob o comando da ditadura de Maduro estiveram pressionando prisioneiras a trocar sexo por proteção ou “privilégios”.

Apesar de tudo isso, não veremos feministas comentando o caso ou se solidarizando com as mulheres que ousaram se levantar contra o ditador socialista.

Julio César Moreira

Graduando em administração de empresas pela UFPR-PR. Assessor de investimentos, hoje atua no setor privado como consultor na área de educação e inovação. Escreve regularmente sobre tópicos relacionados a economia, instituições e política.
Julio César Moreira

DEIXE UM COMENTÁRIO