Assassinaram outra mulher, PM, branca e hétero, onde está a mídia e a comoção nacional da esquerda?

Assassinaram outra mulher, mas era branca, loira de olhos claros, hétero e Policial Militar, sem nem uma “representativa” que justifique qualquer indignação nacional.

De férias em Natal (RN) com o marido, a policial militar catarinense Caroline Pletsch (32) foi executada com um tiro no peito na frente de dezenas de pessoas. O crime brutal ocorreu dentro de uma pizzaria.

Após anunciarem o assalto, os bandidos começaram um arrastão e passaram a coletar os pertences dos clientes. Quando identificaram que o casal era policial militar e estava armado, os criminosos abriram fogo.

O também membro da PM catarinense, sargento Marcos Paulo da Cruz (43), esposo de Caroline, recebeu dois balaços à queima-roupa. Ele sobreviveu. Caroline não resistiu.

Para eles não houve passeatas. Para eles o Jornal Nacional não dedicou manchetes e mais manchetes. Afinal de contas, eles são “apenas” policiais que entregam suas vidas na luta diária contra o crime, não ativistas de esquerda.

Para os comunistas, socialistas e seus infiltrados na mídia eles são apenas um número.

Então, façamos ecoar nossa solidariedade e comiseração. Caroline Pletsch, PRESENTE!!

Amauricio Borba

Formado em Economia, Jornalismo e Ciências Políticas pela UNIVILLE – SC. Gaúcho de nascimento e catarinense de coração. Em defesa da ética, da liberdade de expressão e por um Brasil mais justo. Apaixonado por vendas é fundador do Jornal Expresso Diário
Amauricio Borba

DEIXE UM COMENTÁRIO