Hospital Albert Einstein processa o ator Zé de Abreu por mensagem em rede social

O Hospital Albert Einstein, localizado em São Paulo, entrou com uma ação de indenização por danos morais contra o ator Zé de Abreu por conta de uma postagem feitam em uma rede social no início deste ano e que a instituição considerou difamatória. As informações são do jornalista Ricardo Feltrin, do UOL.

Na ocasião, Zé de Abreu disse que a facada sofrida por Jair Bolsonaro (PSL) durante a campanha eleitoral tinha sido elaborada por grupos israelenses e, assim, ajudaria na eleição do agora presidente da República. Ele é acusado de difamação, ofensa e antissemitismo.

“Teremos um governo repressor, cuja eleição foi decidida numa facada elaborada pelo Mossad [serviço secreto israelense], com apoio do Hospital Albert Einstein, comprovada pela vinda do primeiro-ministro israelense, o matador e corrupto Bibi. A união entre a igreja evangélica e o governo israelense vai dar merda”, escreveu o ator.

O hospital solicita indenização no valor de R$ 100 mil para desestimular que outras pessoas repitam atitudes e postagens como a do ator. A ação movida pelo hospital, e já recebida por Zé de Abreu, afirma que “o réu seria alguém carente de discernimento, um deficiente mental, para usar a terminologia da lei civil”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

CONTEÚDO RECOMENDADO
loading...