Justiça concede incidente de sanidade mental e suspende processo contra agressor de Bolsonaro

A defesa do agressor confesso do candidato à Presidência pelo PSL Jair Bolsonaro informou, na noite de hoje, que a 3ª Vara Federal de Juiz de Fora suspendeu o processo principal contra Adélio Bispo de Oliveira, que se baseia na Lei da Segurança Nacional.

De acordo com o advogado gaúcho Marco Mejía, que representa o agressor, a Justiça concordou com a abertura de um incidente de sanidade mental. Com isso, até a avaliação médica e clínica de Adélio, a tramitação do processo acusatório fica suspensa.

O objetivo da defesa, segundo Mejía, é o de que o cliente possa receber tratamento psiquiátrico.

Caso isso ocorra, uma eventual pena se torna mais branda, podendo ser cumprida em um manicômio judicial, em vez de em uma penitenciária.

Em 4 de outubro, a Justiça Federal acolheu a denúncia do Ministério Público Federal contra o agressor, por atentado pessoal por inconformismo político. O crime é previsto no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional.

Siga o EXPRESSO DIÁRIO no TWITTER e acompanhe todas as notícias em tempo real.

Bolsonaro sofreu uma facada na região do abdômen, enquanto fazia ato de campanha em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, em 6 de setembro. Na denúncia, o procurador Marcelo Borges de Mattos Medina defende que o agressor “se passou por apoiador” de Bolsonaro, durante ato de campanha, para conseguir se aproximar do candidato e desferir o golpe.

Amauricio Borba

Formado em Economia, Jornalismo e Ciências Políticas pela UNIVILLE – SC. Gaúcho de nascimento e catarinense de coração. Conservador de direita em defesa da ética, da liberdade de expressão e por um Brasil mais justo. Apaixonado por vendas é fundador do Jornal Expresso Diário
Amauricio Borba